Graças a Deus; Deus é brasileiro

Não pretendo enveredar pelo campo minado da discussão religiosa. Já bastam as batalhas menos complexas, muitas perdidas, algumas a decidir e algumas vencidas. Importante lembrar o significado da palavra vencida. Pode ser ganha, mas também pode ser além do prazo.

Mas, como pretenso comentarista, às vezes crítico, às vezes entusiasta das coisas brasileiras, resolvi enveredar pelo caminho da expressão não ofensiva mais ouvida no país. “Graças a Deus!” e derivações, como “Se Deus quiser!, “Com a ajuda de Deus” etc.

Oh! Cara implicante. Mas não é bem isso. Ou seria? Sempre considerei muito curioso este vício ou cacoete brasileiro de não dar sossego a Deus. A primeira coisa que me ocorreu quando comecei a pensar a respeito foi o segundo mandamento aprendido no catecismo há cerca de sessenta anos. Não pronunciarás o seu Santo Nome em vão! Nem todos são religiosos; eu não sou (cuidado com interpretações!). Mas os que não param de repetir o Graças a Deus e suas derivações devem sê-lo. Caso contrário não faz sentido.

Deus existe? Se sim, e está acima de nós, e é perfeito, tudo é graças a Ele e Ele estará sempre disponível para nos ajudar. E não faz sentido ficar repetindo à exaustão que tudo é graças a Ele, porque tudo é mesmo e sempre graças a Ele.

Deus existe? Não. Então não há por que citá-lo.

A terceira alternativa seria que Deus existe e é tão falho como nós mesmos. Neste caso ele é mais um de nós e pode ser preconceituoso, mau às vezes, bom às vezes, omisso às vezes, vingativo às vezes … Esta terceira alternativa não é aceitável.

A minha impressão é que quando usam “Graças a Deus” e derivações, as pessoas estão preparando uma desculpa ou buscando um responsável para possíveis resultados inconvenientes. Eu queria, eu tentei, mas Deus não quis. E como Ele está acima de tudo e de todos, devo me conformar com o ocorrido. E algo que nós brasileiros somos é conformados. Aceitamos qualquer bugiganga, sejam coisas ou pessoas ou ações. E o Graças a Deus e derivações é uma ótima forma de conformismo.

Uma derivação ainda não citada e muito usada é a afirmação de que “Deus é brasileiro”. Permito-me, respeitosamente para com Deus, nem tanto com os brasileiros que usam a frase, analisá-la.

Como o Brasil existe há pouco mais de quinhentos anos e a humanidade há muito mais tempo, e o universo há ainda muito mais, a afirmação não faz sentido. Deus não nasceu brasileiro.

Então houve uma naturalização divina. Após a Terra de Santa Cruz ter sido batizada de Brasil, Ele passou a olhar com outros olhos para cá. E maravilhado com o que via, rios imensos, de águas límpidas e piscosas, milhares de espécies diferentes na fauna e na flora, imensas áreas cultiváveis; naturalizou-se. E, tendo se naturalizado, passou a resolver os problemas do Brasil para os brasileiros. Liberou-nos de responsabilidades e, com isso, permitiu-nos viver despreocupadamente.

Problemas? Coloque nas mãos de Deus, Ele resolve, Ele é brasileiro. Brasileiro por escolha, Ele optou pela naturalização! Não é brasileiro por imposição de nascimento! Há algo mais maravilhoso do que querer ser algo ou alguém? Ele quis ser brasileiro!

Problemas com energia? Deus é brasileiro, ele resolve.

Problemas com água? Deus é brasileiro, ele resolve.

Problemas com a Petrobras? Deus é brasileiro, ele resolve.

Problemas com dinheiro de impostos desperdiçado em transposição do Rio São Francisco, inacabada e abandonada? Deus é brasileiro, ele resolve.

Problemas com dinheiro de impostos desperdiçado na construção de estádios porcamente construídos e em deterioração acentuada após menos de um ano? Deus é brasileiro, ele resolve.

Problemas com a agricultura e a exportação de seus produtos? Deus é brasileiro, ele resolve.

Problemas com a exportação de minérios? Deus é brasileiro, ele resolve.

Problemas? Ele resolve.

Em vista da falta de solução dos problemas citados e de muitos outros que não se resolverão sem a nossa (dos brasileiros) intervenção, tenho a certeza que Ele se cansou e trocou de nacionalidade.

 Saúde e alegria a todos.

2 comentários sobre “Graças a Deus; Deus é brasileiro

  1. que interessante sua análise! Nunca tinha parado para refletir que o povo brasileiro, pelo menos em relação aos outros povos que tive e tenho contato, é o único a falar essas frases e possivelmente acreditar dessa forma! Mas sim, também me parece que Deus decidiu se naturalizar em algumaoutra nação. Talves uma dupla cidadania??? … gostei muito desse post! Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s