Somos capazes e dignos

Este foi pensado para ser um blog positivista, isto é, apresentar argumentos que elevem a moral nacional perante nós mesmos, e a nossa moral frente aos escândalos de petróleo etc. Evidente que não poderá abordar fatos e personagens políticos.

Recebi há poucas semanas e-mail de amigo professor feliz com o primeiro voo de um novo avião da Embraer. Avião de carga, de uso militar ou civil, maior do que o famoso Hércules C-130. Este ícone do transporte de carga, também de uso militar ou civil, foi fabricado a partir de 1954, inicialmente pela Lockheed e posteriormente pela Lockheed Martin e é uma verdadeira lenda da aviação ainda em produção. A razão da felicidade reside na participação de ex-alunos de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica da USP, hoje engenheiros da Embraer, na viabilização do KC-390 (1).

Como uma montadora de automóveis, construtores de aviões são também montadores. Projetam e constroem aviões em conjunto com outros países e os montam em casa. No caso do KC 390 participaram com o Brasil, a Argentina, Portugal e a República Tcheca (2).

E ele voou e voou seu primeiro voo bonito, como pode ser visto em (1).

Featured image

Nós somos melhores que os norte-americanos da Boeing ou da Lockheed Martin ou do que os europeus da Airbus? Evidente que não, mas não somos piores. Nós também somos capazes.

Exemplos semelhantes existem vários.

Um grande número de usinas hidrelétricas construídas no Brasil nas décadas de 1970 e 1980, principalmente as mais recentes, têm muito de tecnologia nacional nelas, em especial no tangente às obras civis. Itaipu, que durante cerca de vinte anos foi a maior usina hidrelétrica em potência instalada do mundo, tem a sua barragem inovadora projetada no Brasil por brasileiros. A forma estrutural da barragem permitiu a redução de seu peso em centenas ou milhares de toneladas.

Empresas multinacionais da área de bens de capital e cujo nome prefiro omitir, atuantes em projetos que alcançam milhões de dólares, optaram por tornar o Brasil polo único mundial de desenvolvimento de projetos e de fabricação em áreas específicas, face à competência do seu pessoal técnico, com diretoria e gerência composta por brasileiros.

A Petrobrás, recém espoliada pelos seus “diretores por indicação política”, detém a melhor tecnologia para prospecção e extração de petróleo em grandes lâminas de água, isto é, em grandes profundidades marítimas. O pré-sal, que burramente levou ao abandono do programa de etanol pela segunda vez, e será objeto de um post futuro, é consequência do conhecimento adquiro pelos técnicos da Petrobrás ao longo de décadas de prospecção e extração de petróleo no mar, conhecimento este iniciado em meados da década de 1970. A absoluta maioria de técnicos da empresa é composta por brasileiros.

O Proálcool, iniciado também na década de 1970, foi o maior programa do mundo para substituição de derivados de petróleo por biomassa, abandonado ao início da década de 1990. Ao final da década de 1990 surgiram os motores flex, que permitem o uso de, em princípio, qualquer combustível para a movimentação de veículos leves e médios, porém não substituem o óleo diesel. Tanto o ProÁlcool quanto os Motores Flex são originários de desenvolvimento brasileiro de tecnologia. O primeiro no Centro Tecnológico da Aeronáutica, em São José dos Campos, o segundo na empresa Bosch, e na UNICAMP, ambas em Campinas (3) (4).

Nós somos capazes e na área mais importante dos últimos cerca de setenta anos, a área de tecnologia.

E como eu decidi que este seria um post positivo, não irei tecer comentários sobre o comportamento dos nossos pais da pátria no tocante ao desincentivo ao desenvolvimento de tecnologia no Brasil.

Sobre dignidade, apenas um exemplo. Acredito que todos já devem ter cruzado com catadores empurrando ou puxando seus carrinhos pelas ruas de suas cidades. Na Grande São Paulo tal cena é bastante comum. Nos dois viadutos que permitem ultrapassar a linha férrea em São Caetano do Sul tal encontro é diário. Pela manhã em um sentido, à tarde em outro, lá estão eles com seus carrinhos improvisados, muito mais pesados do que o necessário, carregando papelão ou geladeiras, plástico ou fogões, transportando recicláveis para venda e sobrevivência. Sem truques, sem jogadinhas ou enganações, trambiques ou desonestidades, dignamente tocando a sua vida.

Saúde e alegria a todos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s